Sem Esperança...

8º Episódio

INTRODUÇÃO

Nosso desespero era total! 
Estávamos presos em uma dimensão onde os seres nativos eram muito impetuosos em combate! Tanto quanto eram traidores e gananciosos em seu convívio social. 
Geralmente tornavam-se aventureiros por que eram párias de sua própria sociedade. 
E, portanto caçados pelos “alastores” de seu próprio povo. 
Buscavam poder e riquezas acima de tudo, sem se importar com a maneira de obter. 
Alguns deles até poderiam aprender com heróis valorosos e altruístas, a modificar seu comportamento mesquinho diante do convívio.
Mas esses casos eram raríssimos, porque os que conseguiam eram pegos pelos magos negros para aflorarem as características maléficas que herdaram de sua raça.
Os que não conseguiam ser maléficos eram banidos e buscavam conforto na ajuda de outros na prática do bem, embora isso fosse extremamente raro na dimensão em que estávamos.

Capitulo I

Já tínhamos revirado todos os locais em que estivemos a procura do obelisco para voltarmos a nossa dimensão e não foi encontrado.
Last continuava tentando usar seu poder de transportar-se para nos ajudar a sair deste lugar, mas o que havia conseguido até então foi se materializar em outra parte da mesma dimensão.
 Dseyvar também não conseguia usar os poderes herdados de Kalissia. Eu... Após quase ter-me tornado uma besta não sabia mais usar meus poderes mortais. 
Então decidi que não queria mais tentar!
Disse a meus amigos que eu ficaria nesse mundo desolador, mesmo que eles conseguissem voltar para casa. Eu ficaria com Elessar, mesmo que ele fosse um demônio e nem se lembrasse de mim.
 Eu não o deixaria sozinho nesse mundo e que talvez eu me tornasse um demônio também.
Last aflorou as garras ficou com aparência assustadora e gritou comigo:

- ELFA! VOCE NÃO VAI FICAR AQUI! NEM TAMPOUCO SE TRANSFORMAR EM UM DEMÔNIO, POIS É JUSTAMENTE ISSO QUE A BRUXA ESTÁ QUERENDO! SÓ VAI DAR MAIS PROBLEMAS PARA NÓs; TEREMOS QUE MATAR DOIS DEMÔNIOS MUITO PODEROSOS O SEU E O DE ELESSAR.


- NÃO GRITA COM ELA LAST!

Falou Magno gritando também! Dseyvar se encolheu no canto como uma cria indefesa.
Mas logo em seguida se levantou arrumou as lãs passou a mão nas lágrimas e disse.

- Não quero gritaria nem discussão entre nosso grupo! Todos nós estamos em desespero, mas não é assim que conseguiremos alguma coisa. Vamos todos achar um lugar que tenha água para nos lavarmos, depois comer os pães élficos que trouxemos, em seguida vamos nos misturar entre os habitantes e descobrir qualquer coisa que nos ajude a voltar para casa.
Voltarmos TODOS! Inclusive o corpo do elfo.

Olhávamos para Dseyvar em silêncio porque já havíamos percebido que se tratava da nossa líder! Mah Esperanza! E ela continuou:

- Magno! Agora é apenas com voce: Não ouse se transformar no que quer que seja! 
Nem mesmo pense nos poderes que voce possui. É certo que todos estão procurando por voce. 
No momento precisamos de seus préstimos como "o cigano".  Que são:
Um local seguro para usarmos como lar enquanto estivermos nesse inferno!
E ficar de olhos abertos em Sigel. Ela está desorientada! Nós amamos Elessar como amigo, mas a elfinha tem amor por ele.
 Vou com Last investigar. Voltamos em duas horas. Agora Vou falar uma coisa com Sigel e quero que todos escutem com atenção. Não pensem que sou insensível! Apenas estou sendo prática! Aprendi a ser depois que minha mãe morreu.

Nossa querida ciganinha estava novamente puxando nossas orelhas para nosso bem! E todos nós dissemos que faríamos como ela ordenasse e ficamos ouvindo o que ela diria a seguir: Ela me chamou, segurou as minhas mãos e disse:

- Minha querida Sigel! Por favor! Não desista de tudo que voce aprendeu com o belo Elfo que foi nosso querido Elessar. Mantenha a imagem maravilhosa dele no seu coração como eu farei e peço a todos voces que façam o mesmo.
Elessar foi para nós como um Girassol!

O girassol é uma planta que quando nós olhamos “de fora” nos parece uma flor simples, fácil de ver por aí, de plantar e até muitas vezes tidas como brutas por jardineiros que não permitem que elas cresçam em seus jardins.

Mas não é assim: Um Girassol precisa de muito tempo pra se preparar para vida, após germinar e até crescer passa por diversos inimigos que muitos de nós nem damos valor, mas para ele que luta pela vida, são adversários terríveis! Assim como: as vorazes térmitas, caracóis malignos, formigas devoradoras, ventos destruidores.
O girassol passa por tudo isso com bravura e depois de alguns meses, quando ninguém mais espera, lá está o botãozinho que nos alegra, porque logo irá abrir.

Ai esperamos, esperamos, mas outra vez, leva muito tempo até que se reproduza... Para se abrir em flor. Porque as Flores são inúmeras...
 Deixa-me explicar direito:

O Girassol tem capítulos florais composto de inúmeras florezinhas muito pequeninas. As que ficam no esterno são lígulas assimétricas são as que se transformam nas pétalas (da flor do girassol). As pequeninas florezinhas que compões o capítulo floral que deixam a flor com a aparência felpuda, aveludada, por ser muitas, precisam de tempo até que se transformem e dê a aparecia da (Flor do Girassol)

Agora pensem em como é difícil depois da flor pronta, aquele caule fininho suportar o peso da sua flor.
Pensa como seria triste, se depois que a flor se abrisse imensa no talo frágil para a própria flor... O girassol despencasse... E não suportando o peso da beleza que ele mesmo criou caísse por terra!
É triste não é? Mas acontece muito!
O girassol totalmente exausto da criação esplêndida engendrada por ele mesmo despencar.... Mas o girassol é forte!

Ele sente a força da terra a lhe empurrar, e sabe que precisa aguentar até que sua flor se transforme em sementes. Se ele se deixar levar pelo cansaço de seu trabalho árduo, não teremos a bela flor do girassol.
E para nossa surpresa na manhã seguinte, depois de uma noite de descanso ele se levanta com toda beleza e disposição para cuidar de sua cria.

Muitas vezes o sacrifício do caule em suportar o peso da flor é tão grande que ele racha pendendo para um lado... Mas consegue se erguer porque sua corola precisa da luz do sol para amadurecer.
Ai, quando ele consegue se erguer mesmo rachado, vem o temporal e o vento  o derruba... No dia seguinte ele está novamente tentando se levantar todo enlameado, Mas firme! Porque carrega a responsabilidade do que ele trouxe ao mundo. Sua enorme e bela flor de girassol.

Há uns anos atrás eu cultivei um “girassol anão” que ganhei como presente de um cigano que estava de passagem no nosso acampamento com a família.
Sem ter muito para oferecer me deram seu girassol depois de uma dança que fiz para ele e a família enquanto descansavam. (Um presente muito honroso Porque para nós os ciganos o Girassol tem significado especial.)

Os “girassóis anões” são híbridos de girassóis grandes, originando uma planta mais adequada para o cultivo caseiro. Aconteceu que durante a viagem da família cigana o girassol sofreu abalos e não estava tão firme no vaso.
Fiquei por uns três dias cuidando dele para que ele não morresse logo, cuidei das fraturas enrolando tecido fininho, molhando gradativamente com pequenos goles de água, adubando a terra com salitre...
Mas ele estava tão mal que pendia para o lado, cheio dos calombos das fraturas, que a flor ficava de cabeça para baixo.

Eu tinha feito tudo com muito carinho, porém não havia mesmo mais nada a fazer... Com muita dó da plantinha, porque aprendi que as plantas sentem dor que nem a gente! Eu o levei até meu jardim e coloquei encostado na estátua do anjinho que tem no canto do jardim... Conversei com ele por um bom tempo: eu disse a ele que agora somente a natureza poderia fazer algo por ele, que eu já tinha feito tudo que sabia.

Na manhã seguinte quando acordei e abri a porta do meu trailer...
Juro pra voces!

O girassol tinha feito um giro total sobre o próprio eixo e estava com a corola toda abertinha, iluminada pelo sol, voltada para cima exatamente para o sorriso do anjo, como se um estivesse sorrindo para o outro. Um com o talo enfaixado e o outro com a asa colada.
Fiquei feliz! Pena que durou pouco...
 Os girassóis de vasos encontrados no mercado não têm vida útil superior a 15 dias e não brotam novamente.

Depois que ele morreu, eu arranquei do talo seco com carinho a grande flor e retirei pétala por pétala, depois a corola com as sementinhas e levei até uma alameda onde tinha um caminho que os homens usavam para entrar na mata para caçar... Nos dois lados do caminho cresciam flores nativas. Então,  eu joguei naquele canteiro feito por Deus a minha flor de girassol para que ele voltasse a ser pó, húmus se misturando a terra. Torcendo para que ele voltasse à tona fazendo parte de um gerânio, azaleia, lírio, palma-de-santa-Rita. Ou mesmo em outros girassóis. Indo contra o que dizem os homens sobre “girassóis anões” Vai saber que tramas armam as raízes lá embaixo no escuro, em segredo. Até hoje eu creio que meu girassol está lá entre aquelas flores da alameda.

Assim devemos pensar todos nós sobre nosso amigo que daria a vida por nós. Elessar não era um elfo comum, não foi hibrido de nenhum ser. Ele é filho da terra e vai morar para sempre em nossos corações como o meu girassol.
Posso te garantir que existem poucas coisas para mim que são mais esplêndidas que a beleza do girassol em todo seu processo de vida. Ou mais esplêndidas do que um girassol aberto.

Quando Mah acabou de falar estávamos todos encantados e mais fortes. Pensando que ela tem razão. Da maneira submissa que Elessar estava deve ter-se entregado para nos salvar e não íamos desperdiçar seu sacrifício.
 Mah pediu licença para deixar Dseyvar assumir e cada um de nósfoi cumprir o que ela pediu. Eu realmente não estava me sentindo a altura de acompanhar Last e Dseyvar então fiquei ajudando Magno com a lida estipulada para ele.

Enquanto estávamos arrumando o local onde seria nosso lar. Pedi a Magno que me contasse mais sobre o vampiro Last. E como ele tinha feito para torna-lo um Vampiro naquela guerra infernal que estávamos. Ele contou que:

- Durante o pedido de Last para que eu me tornasse um vampiro que somente assim eu poderia vencer o rei Tuliman. Ele me disse que minha mãe estava com ele e eu ouvi a palavra “Filho”, então eu lutei com todas as minhas forças para não decepcionar minha mãe se ela estivesse mesmo ali. Eu usei da mesma maneira que faço para me tornar Sunahara, "Eu me vejo como um tigre".
Para me tornar um Vampiro;  Eu me vi como um vampiro furioso, porque estava com muita raiva do rei.
 Eu gostei de ser um vampiro!
Senti todas as energias em meu corpo em ebulição. Senti muito ódio também, o que normalmente eu não sinto, sou uma pessoa muito calma, fácil de lidar.
 Como vampiro eu senti fúria várias vezes e essa fúria me livrou da morte, principalmente quando lutei com aquela feiticeira que está com Elessar e com um mago negro poderoso.

- O que? Voce já tinha visto aquela peste? – perguntei espantada.

Sim! Quando estava procurando Last e Elessar fui pego por um mago poderoso que nem precisava usar as mãos para me machucar, mesmo eu sendo um vampiro. Enquanto o mago estava dando instruções para sua turba se retirar da batalha. Ele tirou a atenção de mim me soltando.
Aproveitei o momento de distração dele  para ataca-lo de surpresa...
Mas fui parado  quando aquela feiticeira me cortou com uma adaga.
Nós lutamos e quando eu ia mata-la ela me disse que era Circin e que veio me salvar.

- O QUE? AQUELA É a CIRCIN.

– perguntei segurando Magno pelas vestes e levantando-o do chão

- Me solta Sigel! O que deu em voce? Eu não tenho certeza! Foi o que ela me disse mentalmente quando eu ia arrancar a cabeça dela.

- E porque não fez Magno? Porque não a matou? Elessar estaria vivo!

Eu disse isso jogando Magno contra a parede da construção... Ele ficou uns minutos no chão pela pancada depois levantou devagar e me disse.

- Eu a soltei quando ouvi Last me chamar, ele havia encontrado Elessar ferido.
E no momento para mim. isso era mais importante do que uma vingança com a feiticeira por ela ter me ferido gravemente perfurando meu "baço" ao enfiar toda sua adaga no meu abdômen Sigel.

Eu... Pedi desculpas ao Cigano pela minha fúria. Tinha feito sem pensar e estava arrependida. Porque ninguém poderia mesmo saber o que ela faria a seguir. Ainda mais estando em um campo de batalha...
Magno não respondeu... Voltou aos seus afazeres, visivelmente magoado.
Eu o ajudei em silêncio.

***********************
Enquanto isso no nosso mundo Tempest e Sitaara chegaram ao acampamento de Mat. A Elfa da Tempestade levou Sitaara a presença do Rei Mat onde estavam todos preocupados. Em seguida Sitaara foi levada até o Kaku que contou a ela sobre a "pedra dos portais" e tudo que aconteceu até a nossa entrada na dimensão em que estávamos.
Sitaara perguntou se havia um modo de manda-la também para essa dimensão, por que estávamos em perigo e que ela iria acabar com todos que tentasse nos ferir. O Kaku observava Sitaara por longos minutos enquanto ela falava sem parar, quando ela acabou ele disse com segurança e ternura:

- Minha querida Elfa! Eu sei que voce quer salvar as pessoas que voce ama!
Porém minha bela menina lembre-se sempre que:
"Em tudo o que voce fizer de bom ou de mau, o maior beneficiado ou prejudicado será inevitavelmente voce. A maldade assim como a bondade é como um “boomerangue”! Vai bate no outro e volta certamente sobre quem atirou".

Preciso te dizer honestamente que não sei se posso confiar em voce entrando naquele mundo mágico. Pela cor que emanou da “pedra dos portais” aquela é uma dimensão de magos negros e perigosos. Abrir um portal pode até parecer muita fantasia! Ou até mesmo fácil demais. Mas minha criança! Não tente fazer isso se não tiver a mínima capacidade de visualização e concentração.
Voce poderá apenas abrir uma brecha frágil que não te levará aonde voce deseja ir, mas em compensação poderá trazer qualquer outra criatura do outro lado.
 E se for um mago que descobrir a brecha criada por voce, dará a ele as coordenada para alargar a brecha que voce fez e usar para sair.

- Então o senhor está tentando me dizer que não irá me ajudar a entrar?

- Não é isso querida Elfa! Elessar atravessou com os amigos porque ele sabia abrir o portal. Para abrir uma passagem dimensional você precisa usar a visualização, um símbolo, ou ambos. Voce com certeza já viu os elfos atravessando portais Elementais e achou muito fácil.
Nesse caso eles traçam o respectivo pentagrama de invocação e imagina o poder elemental fluir através dele para todos que precisam atravessar com ele, deixando a brecha para retornar num ciclo constante, caso contrário, haveria saturação de energia que queimaria a aura deles.

 No caso de um portal dimensional você precisará de um símbolo e a capacidade de visualização do mesmo.

- Foi o que eles usaram??

- Sim, foi exatamente.

Então não poderei ajuda-los. Porque nesse caso eles estão com o símbolo.

- Bem, eu não diria isso...

- COMO ASSIM SENHOR KAKU? O QUE ESTÁ QUERENDO ME DIZER?

- Não fale alto assim menina! Não é bonito a uma bela jovem como voce. Hamm! Eu quero te dizer que perdemos nossos amigos para sempre! Não podem voltar.

- O QUE? ME EXPLICA ISSO!  - Gritou Sitaara novamente.

- Quando atravessaram a dimensão que se abriu para tentar encontrar seus entes queridos. Elessar ficou esperando a brecha ficar bem pequena até que não saísse ninguém por ele. Elessar estava certo,  saiu uma criatura medonha que ele e Mat perseguiram até Elessar leva-lo de volta. Caso contrário poderia ter destruido a todos nós no acampamento até sabermos como lidar com ela.
Acontece que alguns segundos depois que entraram no portal Elessar e a criatura levando a “pedra dos portais” ela retornou para nossa dimensão fechando a brecha e deixando eles presos lá.

- A “pedra dos portais” voltou sozinha??

Sim, aqui está ela. Brilhando para uma outra dimensão que não é a que eles foram;
Como o Senhor sabe disso Kaku?

- Porque a luz era quase negra e essa é essa luz que emana agora, está canalizando as energias Elementais...

- E se eu entrar o que acontece?

- Primeiro voce precisaria saber abrir! E se souber e conseguir poderá ficar presa também.... Um portal dimensional é um mistério...
.....

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Besta Dourada

A Escolha É Sua

Roda Cigana