A Morte de Elessar

6º Episódio
Capitulo I

Last saiu bem rápido daquele covil sanguinário levando seu pupilo que estava um tanto desnorteado com todo acontecimento.

Precisava deixa-lo em segurança e ir atrás de Elessar.
Mas agora sem a ajuda do Elfo Lorian. 
Primeiro: porque ele queria preservá-lo e segundo: porque iriam captura-lo novamente por causa do tal do “signo” do Rei.
 E Last não queria isso.
Levou Lorian em segurança para junto de nós que já estávamos curados e esperando por eles.
Meu coração quase parou quando os vi chegar sem Elessar.
Last nos contou o que fizeram com ele...

- Como assim Elessar dominado como uma criança? Por quê? O que fizeram com ele para chegar a esse ponto? 

Eu perguntei visivelmente desesperada para um elfo.
Last disse que não sabia. Que ele e Lorian saíram da carnificina na cidade das criaturas comedoras de carne e seguiram a mente de Elessar encontrando-o nessas condições. 
Então resolvemos ir todos a caça do elfo,  já estávamos plenos de saúde.
Mas o vampiro disse que não! 
Que ele iria sozinho e nos pediu que tomássemos conta de Magno que não poderia ficar nesse mundo como Lorian. 
Deveria retornar a forma do cigano, porque ninguém sabia da metamorfose dele e não iriam molestá-lo assim.

Mas quem disse que Lorian aceitou?
 Para amenizar as coisas, Mah pediu a ele que voltasse a ser Magno ou ela não teria tranquilidade para continuar a liderança e até aquele momento tudo estava dando certo. Lorian sabendo que a cigana nunca dá ponto sem nó. Disse que faria a troca. E fez.
Mas queridos ouvintes! Magno exigiu que nós fossemos todos, buscar o elfo nosso amigo. Last tentou tudo para ele não ir, mas ele não aceitou argumentos.
Nos virou as costas e foi até nosso esconderijo pegar o que precisava para seguir viajem conosco.
 Last falou que então, precisaríamos estar invisíveis. Que mesmo sendo dotados de magia os seres desse mundo eram um tanto lerdos, não a maioria deles: os que possuíam magia negra eram muito fortes e podiam perceber a nossa invisibilidade, mas que eram muito poucos os que conseguiam. Dissemos a ele que aprendemos a despistá-los. Bem, somente os tais lerdos.

Enquanto estávamos nos curando; nós não aguentávamos mais a espera, porque parecia uma eternidade devida nossa ansiedade, então, Mah nos incentivou a nos sujarmos de fuligem, nos cobrir com nossos mantos que foram estraçalhados na cidade dos comedores de carne e irmos investigar sobre o lugar. Fizemos isso! Curvamos-nos um pouco para ficarmos com o andar parecido com os deles e rondamos por lá.

Com isso nós descobrimos que aquela dimensão se chamava “Zift” (O mundo dos expulsos). 
Essa dimensão era povoada por Magos que só queriam atrocidades. Mesmo em “Magia negra” Existe honra! 
E alguns magos não conheciam isso e extrapolavam à seu “bel-prazer” Destruindo mundos, mudando seres, tentando criar vida e com isso ficando cada vez mais demoníacos. 
Existiam três seres muito poderosos. Um deles era a tal feiticeira Circin. Outro era o Harock o Grã-vizir do rei Tuliman e sucessor do trono, porque o rei não possuía descendentes. Harock tinha o espírito negro! A guerra e as atrocidades o agradavam, ele se aborrecia com a calmaria que havia em seu reino enquanto reinava o rei Tuliman.
 Procurou a magia negra e com o seu exército de espectros destruiu reinos, tomou cidades, arrasou vilarejos, fez inimizades onde passou trazendo a guerra a seu reino e ao rei Tuliman que era instigado por ele a ser um mago negro.
 As terras do rei Tuliman foi um reino pacífico.
 Antes de serem exilados para “Zift”.

- E o outro mago negro?  

Perguntou o Vampiro... Mas não souberam nos dizer, só disseram que o temiam, porque esse mago era muito poderoso e dizimava a tudo e a todos com apenas um gesto.
Magno já estava pronto e nos chamou para a viajem.
Last muito a contra gosto aceitou, ele poderia hipnotiza-lo para que não fosse, mas Magno era seu amigo e merecia respeito. 
Então, nos transfiguramos em seres encapuzados e seguimos Last. 
 Ele tinha certeza de que Elessar só podia estar nas cavernas subterrâneas embaixo da construção que explodiu. 
O Elfo tinha desaparecido muito rápido enquanto ele e Lorian lutavam.
 E os seres que guardavam Elessar não eram magos negros para se transportarem dali.

Então, foi fácil seguir aquele caminho sendo confundidos com os encapuzados, os seres modificados até fugiam de nós tão bem caracterizados nós estávamos.
 De repente Dseyvar disse que sentiu o elfo chamando-o... 
Last desconfiou que fosse uma armadilha, porque ele não havia sentido.
 Mas eu também senti Elessar!
E disse isso a Last com toda a certeza do meu coração! 
Continuamos seguindo os labirintos intricados das cavernas no subsolo até que sentimos cheiro de enxofre e o vampiro disse:

- Ele está depois dessa parede. Agora posso senti-lo!

Last procurou uma maneira de entrar sem sermos percebidos pelos magos negros que poderiam estar nessa tal gruta. Quando estávamos procurando uma entrada vimos uma fila de seres que “saíam da parede”... Eram seres deformados pelas suas ambições, por seus desejos de poder e de magia, queriam ser feiticeiros poderosos ou ricos, só ganharam carne podre e alma negra. Pobres criaturas! Agora pútridas e ambiciosas ainda acreditavam que Os magos negros lhes deram vida eterna.

Claro! Não morriam porque já estavam mortos! O que eles ainda não sabiam:
 era que: a bela feiticeira Circin a quem eles atendiam a todos os caprichos.
 Era... Um espectro também... Ela supria seu corpo decadente com a essência vital de todos que a procurava em busca de ajuda.
Esperamos que todos saíssem e fomos até a parede que eles saíram, era com certeza um portão mágico: Dito e feito! Ao tocarmos na parede da gruta nossos corpos penetraram sem nenhuma dificuldade. 
Era um ambiente escuro e muito frio...
O Frio que atravessava nossos ossos, era um frio tão maligno, que até o vampiro sentiu.
Novamente Last barrou a nossa passagem, pedindo que esperássemos ele investigar... Mas...  Estávamos diante de um local que não podíamos entrar.
A passagem estava ali diante de nós, mas ao tentarmos entrar esbarrávamos em alguma coisa... Parecia que víamos as imagens em um espelho.

Capítulo II 

Na imagem que assistíamos Elessar estava despido, deitado sobre uma pedra de sacrifício e alguns encapuzados seguravam-no pelas pernas e pelos braços
Uma fêmea de figura cadavérica com alguns fios de lãs compridas e muito grisalhas, se aproximou e começou a entoar um cântico de evocação... 
Os encapuzados em volta da mesa de sacrifícios repetiam suas palavras de evocação... De uma maneira tão veemente que sentíamos vertigens.

Em seguida todo local foi coberto por fumaça negra e não conseguíamos mais ver as imagens lá dentro.
Sem mais saber o que fariam com nosso amigo, nós batíamos na barreira tentando fazer com que nos ouvissem e parassem o que quer que fosse que estivessem fazendo.
 Mesmo que nos ouvissem e viessem lutar conosco, talvez assim poderíamos entrar nesse lugar. Mas não nos ouviram, nem nós conseguíamos entrar. Começamos a tatear as paredes da caverna,  procurando um portão mágico e não encontramos nada. 
A fumaça dissipou-se devagar e pudemos ver quando se abriu um portão mágico e começou a sair  uma energia maligna... Da parede da caverna, ao lado da pedra de sacrifícios onde estava Elessar.  E em meio as brumas escuras e espessas, surgiu uma criatura de manto e capuz negro, bastante alta,

Nesse momento conseguimos sentir um cheiro intragável de minerais derretidos e tivemos calafrios. 
Last procurou desesperando uma passagem que estivesse escapando ar, ele disse que essa passagem existia ou não sentiríamos o cheiro.
 Começamos todos a procurar...
Voltamos a observar, quando os encapuzados se afastaram de Elessar com gestos de “Vênia” (o ato de baixar o tronco e a cabeça como fazemos com as Majestades) 

A figura de capuz negro se livrou do manto nos deixando boquiabertos... 
Era um ser de beleza indescritível. Possuía o olhar sedutor e estava completamente nu. Tinha piercings nos mamilos, ligados por correntes um no outro e as garras eram imensas. 
Chegou à beira da pedra de sacrifícios e olhou sorridente para Elessar!
Os olhos dele faiscaram ao ver a beleza do elfo e o tamanho da sua aura de poder. O nosso elfo estava deitado naquela pedra nu e submisso... 
Sem ao menos perguntar o que estava acontecendo. 
Isso nos deixava desesperados sem poder ajudar. 
Estávamos com medo do que fosse acontecer. 
A fêmea que evocou o belo ser olhava em silêncio segurando um turíbulo fumegante.

O belo ser passou a grande garra do dedo indicador muito de leve da testa de Elessar até o baixo ventre. Se o elfo possuísse pelos poderíamos vê-los arrepiados. Elessar olhou nos olhos dele nessa hora e nos pareceu ficar preso na magia do olhar do belo ser... 
Lentamente ele se aproximou da boca do elfo que em um gesto espontâneo entreabriu os lábios. 
 O ser aspirou forte sugando a essência vital de Elessar ao mesmo tempo em que rasgava o peito dele... De cima a baixo com a garra do dedo indicador... Neste momento nós pudemos ver com espanto a forma verdadeira de Ser.

   O rosto dele era bem largo com dois grandes chifres grossos de uns cinquenta centímetros cada um, e parecia que eram tão pesados que rachou o crânio donde saia uma outra protuberância volumosa. 
Os olhos eram rasgados e atravessados com as Iris na horizontal, as órbitas muito vermelhas...
 Não possuía lábios, apenas um rasgo onde era a boca com a língua bifurcada, Pela língua  ele sentia o gosto e o “tato”.  Quando lambia o sangue que escorria pelo peito de Elessar. 

Em seguida aquela criatura horrível abriu a caixa torácica do elfo com muita facilidade e retirou o coração dele do peito ainda com vida, quente, latejante e entregou a feiticeira que já possuía uma redoma nas mãos esperando o coração do elfo... 
A criatura fechou a redoma com magica e recomendou que a feiticeira jamais abrisse.
Em seguida ele fechou a caixa torácica do elfo como se fosse de borracha e cauterizou a abertura que havia feito no peito dele com a mesma garra que usou para abrir... 
Deixou o elfo lá deitado e voltou para o portão mágico sumindo na abertura nebulosa da caverna.....
..............

Estávamos desolados. Elessar estava morto. E com certeza  seu espírito iria para o lugar onde vão aqueles que foram incapazes de morrer gloriosamente...
Não podíamos admitir aquilo...

Porque motivo nosso amigo estava tão submisso?
Um Valoroso guerreiro!
Um Rei!
Um Mago!
Morto assim...
............


Comentários

  1. Mas gente!! 😨
    Elessar, morto!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem disse que os personagens principais não morrem né??

      Excluir
  2. fiquei muito triste com esse fato do Elessar se não fosse a teimosia do cigano ninguém saberia o ocorrido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente! Um amigo sente quando outro precisa de ajuda, mesmo que ele não consiga chegar a tempo deve ir.

      Excluir

Postar um comentário

Já estamos na terceira Temporada das Aventuras de Sigel. Graças a voces meus leitores. Continuem comigo por favor.

Postagens mais visitadas deste blog

A Besta Dourada